Equipe da Casa  

Equipe da Casa

A Casa Vermelha é um espaço gerido por profissionais da área cultural da cidade. São artistas atuantes no mercado, em diferentes segmentos e com diferentes formações. 

Hoje somos 7 pessoas que trabalham ativamente para manter a Casa como um espaço de resistência, pesquisa e troca entre os artistas e a cidade.

Conheça um pouco sobre cada um:

Andre Franciso

André Francisco nasceu em São Paulo capital e está radicado em Florianópolis desde 1996. Iniciou seus estudos em teatro no teatro-escola Macunaíma na capital paulista. Como ator trabalhou em mais de trinta produções entre cinema e teatro, tanto em São Paulo, quanto em Florianópolis. É formado em filosofia pela UFSC e cursou a graduação e o mestrado em teatro na UDESC. Já fez cursos com Sérgio Coelho, Eudóxia Acuña, José de Anchieta, Fernando Villar, Fátima Lima, José Ronaldo Faleiro entre outros.

É fundador e diretor artístico do Teatro em Trâmite, onde dedica-se principalmente a concepção e direção de espetáculos. Assinou a maioria dos trabalhos do grupo. Além da direção, dedica-se também a cenografia, iluminação e produção. Coordena o processo de formação do grupo e é responsável pelas pesquisas de voz, interpretação e filosofia. Atualmente está em cartaz com o monólogo “A Luva e a Pedra”, do autor argentino Quiqué Fernandez. O espetáculo faz parte do projeto Teatro Pequeno do Teatro em Trâmite e conta com outros três trabalhos de diferentes artistas do grupo.

afposantos@gmail.com

Carlos Roberto Jr.

Multi-instrumentista, compositor e autodidata, iniciou sua caminhada musical na adolescência com a guitarra elétrica. As primeiras composições surgiram nesse período, onde também iniciaram as primeiras apresentações em conjunto com a banda Matilha da Esquina. Nos anos seguintes se intensificaram os estudos teóricos e técnicos assim como novas experiências de gravação, arranjo e composição. De 2016 à 2019 realizou diversas apresentações com bandas, expondo um repertório de Blues, Funk, R&B e Jazz.
Daí em diante, teve lições com a mestra Natália Livramento, momento em que expandiu seu domínio do violão, proporcionando a conquista de repertórios e vocabulários diversos. Passou a estudar os ritmos brasileiros, linguagens e expressões musicais fora das estruturas ocidentais da música. A manipulação digital da música permeia todos esses anos, levando à produções nos gêneros eletrônicos e eletroacústicos. O trabalho de montagem e edição musical via DAW (Digital Audio Workstation) possibilitaram o início da montagem sonora para espetáculos teatrais. Junto do grupo comunitário O Bando, com sede no Centro Cultural Casa Vermelha, foi trabalhada a trilha sonora e direção musical, juntamente com o diretor André Francisco, na montagem do espetáculo inspirado na obra de Augusto Boal “As novas aventuras do Tio Patinhas” e a composição em conjunto para a adaptação da peça “O Rinoceronte” de Eugene Ionesco. As trilhas originais estão presentes no solo narrativo “Risperidona”, do ator Rodrigo Schapieski, com direção de André Francisco. As composições para espetáculos teatrais continuaram com a peça “O ovo, a galinha e a máquina de escrever” e “Para criar e contar histórias” com direção de Loren Fischer. No cinema, a participação se faz presente na trilha do documentário “Toque de melanina” dos diretores Renan Ramos Rocha e Profª Aparecida Rita Moreira.

cj_crj@hotmail.com

Julia B. Perosa

Formada em licenciatura e bacharelado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2017) e em Fotografia pela Universidade do Vale do Itajaí (2019). Atua profissionalmente na área de
fotografia de eventos sociais e culturais, fotografia de moda e social desde 2017. Ministrou oficinas com temática de fotografia analógica, técnicas de revelação com químicos caseiros e construção de câmera artesanais (2018/2020). Desde 2015 participa do Centro Cultural Casa Vermelha como aluna de teatro e, posteriormente, integrante do grupo comunitário O Bando onde atua nas peças Kinder, As Novas Aventuras do Tio Patinhas e Rinocerontes: Guia Prático para Épocas Facistas. Em 2019 se integra ao grupo Teatro em Trâmite, estando no elenco da peça Barro.

juliabalbinottiperosa@gmail.com

Leandro Rovaris

Integrante do grupo Teatro em Trâmite desde 2012, é nascido em Florianópolis e se formou em Publicidade e Propaganda pela UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina). Fez pós- graduação em Marketing Estratégico pela mesma instituição, e por alguns anos trabalhou exclusivamente na área de comunicação e marketing.

Começou se envolver com teatro em 2009 em cursos livres e montagens teatrais. Com o aumento do interesse, foi convidado a participar da montagem do espetáculo “Pavlov” e do espetáculo “Sinhá Chica”, ambos do Teatro em Trâmite, em 2012.
Finalizou em 2017 uma nova especialização, desta vez em Gestão em Produção Cultural, pelo SENAC/SP. Em 2018 ingressou na graduação do curso de Ciência da Informação, na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), e vem trabalhando ativamente como gestor cultural do Trâmite e da Casa Vermelha.

leandro.rovaris@gmail.com

Loren Fischer

Professora, atriz, pesquisadora e arte educadora. Mestre em Teatro – Programa de Pós – Graduação em Teatro – PPGT na Universidade do Estado de Santa Catarina (2009) e Graduada no Curso de Licenciatura em Educação Artística com Habilitação em Artes Cênicas na mesma Universidade (2005). Instrutora certificada no Curso de Formação de Instrutores de Yoga para Crianças e Jovens na Educação – Pequenos Yogis (2015), aluna regular do Curso de Vedanta ministrado por Jonas Massetti (2015) e instrutora certificada pelo Curso de Formação em Yoga com Tales Nunes (2017). Fundadora do Grupo Teatro em Trâmite, atua como atriz no Grupo onde participou de diversas montagens, dentre as quais: “barro” (2011); “Dona Margarida” (2005); “A Galinha Degolada”. Gestora do Centro Cultural casa Vermelha, onde junto com o Teatro em Trâmite realiza diversos eventos e oficinas, dentre eles: Oficina de Iniciação Teatral e Teatro para criança.

Na área da educação atuou em diversas escolas da cidade de Florianópolis como professora de artes e ministrante de oficina de teatro, tanto na rede pública como na rede privada de educação. Ministra também cursos de teatro e expressão corporal, sendo sua última experiência o Curso Prático de Expressão Corporal para Professores no Programa de Formação de Professores do SESC (Jaraguá de Sul e Joinville – 2017). Atualmente desenvolve um trabalho no Yogalaya Morada do Yoga (Florianópolis – SC), voltado para crianças, intitulado Yoga e Arte para Crianças. E é aluna no Curso de Extensão: “Da psicanálise às terapias corporais bioenergéticas: Freud, Reich e Lowen. Na Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL (2017). Ministra aulas de Artes para crianças no Colégio Jardim Anchieta e Aulas de Teatro na Casa Vermelha.

loren.fischer@gmail.com

Monica Siedler

Atriz, performer, com graduação e mestrado em teatro pela UDESC. Atualmente dedica-se à performance em dança O Pior de Mim (prêmio Elisabete Anderle de estímulo à cultura 2014) realizando 25 apresentações por SC no projeto SESC EmCenaCatarina 2017. Faz parte da curadoria e organização do Vértice Brasil: encontro e festival ligado ao The Magdalena Project - rede internacional de mulheres artistas, realizando até o momento 4 edições (2008, 2010, 2012, 2014). Em São Paulo fez parte do Coletivo Rubroobsceno (2012/2015), realizando uma série de ações ligadas à temática de gênero e feminismo. De 2008 a 2014 participou da ARCO Projetos em Arte, em parceria com o artista visual Roberto Freitas, onde pesquisaram a interação entre linguagem cênica e audiovisual. Por conta disso produziram a Trilogia Ninguém é Impossível, que integra as performances: Só Depois (Prêmio Funarte Klauss Vianna 2011); Somático (prêmio Elisabete Anderle de estímulo a Cultura - SC/2010); 1A(UMA) (bolsa de pesquisa para intérprete-criador projeto Mergulho no Palco (2007, Florianópolis/SC). Com a trilogia apresentaram tanto em festivais de dança como de teatro, performance, cinema e artes plásticas, por diferentes estados do Brasil (SC, SP, PR, PB, PE) e exterior (Argentina, México e Dinamarca).

Com a ARCO também destaca-se as produções: Instalação coreográfica Territórios Imaginários (parceria com a Siedler Cia de Dança através do prêmio Elisabete Anderle de estímulo a Cultura-SC (2010) e a esquete cênica DOLLOP (2002). Participou como atriz nas produções Mi Muñequita (circulação nacional pelo projeto SESC Palco Giratório 2010) e Teatro de Quinta - Um Show de Humor (apresentações sistemáticas pelo estado de Santa Catarina - 2008/2010). Integrou a Andras Cia de Dança Teatro, desde sua fundação em 2004, até 2007, dirigida pelo coreógrafo Milton de Andrade. Com o grupo participou dos espetáculos 7 solos (2004), Quixote (prêmio DAMS, Bolonha, Itália, 2005), e Butterfly, (prêmio Funarte Klauss Vianna, 2006).

monicasiedler@gmail.com

Paulo Thiago Ferrugem

É ator, produtor e pesquisador em teatro. Iniciou sua vida nesta arte pela Escola de Educação Básica Dom Jaime de Barros Câmara com a professora Maria Cristina Fabi. Fez curso de Iniciação Teatral na Cia. Vanguarda em 2015, ministrada por Noemia Santos. E fez o mesmo curso na Casa Vermelha em 2016, junto com o curso de Montagem Teatral, os dois ministrados por André Francisco. Como conclusão dessas oficinas, participou como ator no espetáculo “Ópera do Malandro” (Cia. Vanguarda) e do trabalho INF NCIA (segredos em comum e os caminhos da memória) da Casa Vermelha. Atualmente é estudante no curso de graduação em Artes Cênicas no CEART/UDESC, Integrante do grupo Teatro em Trâmite e participante do grupo de teatro O Bando, fundado na Casa Vermelha e é colaborador da mesma desde 2017 até o presente. Conciliando também diversos trabalhos variados como ator, assistente de direção e produtor em: “As Novas Aventuras do Tio Patinhas” (O Bando), “Rinocerontes, um guia prático para épocas fascistas” (O Bando), “O Mané que Calculava” (Teatro em Trâmite), “barro” (Teatro em Trâmite) e “Até a Próxima Esquina” (disciplina de Montagem da UDESC).

thiago.est16@gmail.com

Sara Ludwig Moraes

Estudante de Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Roteirista e apresentadora do “Ponte Dialógica”, o podcast do centro cultural Casa Vermelha. É integrante do grupo comunitário O Bando, grupo teatral comunitário da Casa Vermelha, onde ingressou em 2019. Nesse mesmo ano, atuou nos espetáculos “As Novas Aventuras do Tio Patinhas” e “Os Rinocerontes – guia prático para épocas fascistas”. Em 2020, aproximou-se do Teatro em Trâmite, onde colabora no setor de produção.

sara.ludwigmoraes@gmail.com

Please reload

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

A Casa se encontra fechada temporariamente, devido à pandemia da COVID-19.

ENDEREÇO

Rua Conselheiro Mafra, 590

Florianópolis, SC

48 3030.1886

contato.casavermelha@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Siga a Casa Vermelha

nas redes sociais! ;)