top of page

Casa pela ilha

Era uma casa muito engraçada

Não tinha teto, não tinha nada…

A Casa - Vinícius de Moraes



Olá, Vermelhes!


Mais um ano se inicia e a Casa Vermelha deseja a todos e todas que esse ano, que surge recheado de esperança de reconstrução, seja um ano repleto de saúde, realizações e afetos. Que nossas esperanças consigam estar catapultadas em nossas ações e intentos, e que possamos estar motivados no nosso cotidiano, pela nossa comunidade e em nossa vida como um todo.

A Casa Vermelha está caminhando para seu segundo ano sem espaço físico, o terceiro se somarmos o ano em que permaneceu fechada por conta da pandemia. Seguimos saudosos de poder receber e produzir na sede do Teatro em Trâmite, mas, entendemos que o momento ainda é de espera por oportunidades que permitam que a Casa retome seu espaço físico com segurança de continuidade a longo prazo. Para isso, existe toda uma movimentação para que possamos, o quanto antes, estar de volta, dispondo de um endereço para reunir a comunidade ao redor das atividades artísticas e culturais que marcaram a nossa existência na última década em Florianópolis.

Mas, esse ano de 2023 é muito importante para nós. O Teatro em Trâmite completa 20 anos de existência e estamos preparando uma série de atividades para comemorarmos nossa trajetória repleta de conquistas e realizações. Por isso, também, decidimos nos dedicar ao projeto TRÂMITE 20, que pretende culminar em ações comemorativas sobre o aniversário de duas décadas do Teatro em Trâmite e fomentar o retorno da Casa Vermelha, enquanto sede do grupo, para o ano de 2024.

Assim como no ano anterior, o projeto pedagógico da Casa Vermelha, segue em funcionamento, acontecendo em espaços comunitários. Teremos encontros acontecendo nos centros comunitários do Rio Tavares e da Fazenda do Rio Tavares. Seguimos oferecendo os mesmos cursos (Iniciação Teatral e Montagem) e nos dedicando a formação de atores, como temos feito nos últimos 10 anos. Devem também ser oferecidos, em breve, cursos para crianças e adolescentes. Fiquem atentos às nossas redes sociais para terem todas as informações sobre os cursos e outras ações do grupo e da Casa.

O grupo comunitário da Casa Vermelha, O bando, também não parou. Apresentou no ano passado “Rinocerontes - ou guia prático para épocas fascistas”, uma adaptação do Rinoceronte de Eugéne Ionesco. E, nesse ano, o grupo deve trabalhar sobre a obra de Franklin Cascaes, apresentando o espetáculo “O triunfo da medicina espiritual, milagreira e natural da Sinhá Chica do Mané Pedro Maré Seca, contra os poderes avermelhados do anjo Lucifér”, uma homenagem à cultura da Ilha de Santa Catarina.

Então, era isso, gente vermelha! Estamos preparando muitas novidades para o ano de 2023. Será um ano importante para fortalecer o projeto da Casa Vermelha enquanto ação comunitária. Sempre soubemos que a Casa era constituída muito mais pelas pessoas e as atividades que essas realizavam. O espaço físico, que nós julgamos muito importante, em breve estará reconstituído - e estamos trabalhando para isso. Mas, o projeto da Casa Vermelha é maior que as paredes e os telhados que alugávamos no centro da cidade.



Um ano lindo para cada um de nós!




Teatro em Trâmite e Equipe da Casa Vermelha


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page